28set
Em: 28/09/2018
Sucesso da 5ª Rodada de Partilha da Produção é o resultado do trabalho para recuperar a cadeia de produção de petróleo
Nesta sexta-feira (28) a Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizou a 5ª Rodada de Partilha da Produção. Os quatro blocos oferecidos foram arrematados gerando uma arrecadação de R$ 6,82 bilhões em bônus de assinatura, e tem previsto R$ 1 bilhão em investimentos na fase de exploração.
Segundo o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, a expectativa de arrecadação em Royalties subiu de R$ 180 bilhões para R$ 240 bilhões para os próximos 35 anos. Mas lembrou que o mais importante é observar o total das rodadas de partilha desde o ano passado. “Os resultados da 2ª à 5ª Rodada de Partilha da Produção, com o petróleo a 70 dólares o barril, irão gerar R$ 1,2 trilhão em arrecadação para União, estados e municípios, ou seja, cerca de R$ 40 bilhões por ano”, disse.

Recuperação do setor

Um dos fatores determinantes para a retomada do setor do petróleo foi a manutenção do Repetro, programa que reduziu impostos para trazer investimentos e empregos. Com o programa os investidores tiveram mais tranqüilidade para participar dos leilões, pois sabem que, com o Repetro, os impostos praticados no estado do Rio são os mesmos praticados em outros países produtores de petróleo. Um trabalho que o Christino defendeu quando estava à frente da secretaria da Casa Civil.
O setor do petróleo é fundamental para o estado do Rio de Janeiro, por isso esta é uma das bandeiras da candidatura do Christino a deputado federal. Ele quer liderar a bancada do petróleo e da energia, lutando pra trazer investimentos pro estado, empregos e aumentando a arrecadação.
– Precisamos de representantes na Câmara Federal. Nosso estado perde R$ 27 bilhões, porque a produção de petróleo é taxada no consumo, e não na origem como a maioria dos produtos. Precisamos de um deputado que trabalhe para o segmento na Câmara Federal, e que tenha conhecimento e competência para lutar pelos nossos interesses. A nossa atuação no campo do Petróleo nos últimos anos nos legitima a liderar a bancada do Petróleo no Câmara Federal, caso seja eleito. O estado do Rio é o grande produtor do país e precisa de representantes que lutem pelo segmento, principalmente a geração do emprego e arrecadação – avaliou o deputado.