06jun
Em: 06/06/2018

Até a próxima sexta-feira(8), o programa Rio Rural da secretaria estadual de Agricultura vai liberar mais R$ 2 milhões em recursos diretos para produtores do Sul Fluminense. Idealizado pelo deputado Christino Áureo, quando estava a frente da pasta, o programa que visa a promoção da agricultura sustentável conta com recursos do Banco Mundial e já beneficiou mais de 45 mil produtores familiares em 373 microbacias de 78 municípios fluminenses, com incentivos para a adoção de práticas sustentáveis, harmonizando a produção de alimentos e a recuperação. Para o deputado, este é um programa fundamental para o nosso estado.

– Com esse programa, mostramos que é possível produzir de forma sustentável. Hoje, o produtor sabe da importância de preservar nascentes, matas ciliares e implantarem áreas de recarga. Lutamos muito pela manutenção deste recurso, mesmo a frente da Casa Civil. O Rio Rural tem que ser um programa de estado, e tem que ser mantido. Já protegemos mais 8.300 nascentes quase 50 mil famílias foram atendidas. É um investimento que conta com recursos do Banco Mundial e contrapartida do tesouro estadual. O Rio Rural hoje é reconhecido como exemplo de produção sustentável por organismos internacionais como a FAO e ONU. Ao rever a forma de plantar com novas tecnologias, a agricultura consome menos água e preserva os mananciais existentes, garantindo assim a sustentabilidade da produção – afirmou Christino Áureo.

Até abril deste ano, produtores do Sul Fluminense já haviam sido contemplados com o total de R$ 4,5 milhões para a implantação de subprojetos individuais, diretamente para o produtor, ou coletivos, beneficiando suas associações e cooperativas. Este último foi o caso do projeto de incentivo à cadeia produtiva do leite, concedido à Cooperativa Agropecuária Nossa Senhora do Amparo, em Barra Mansa, que permitiu a reestruturação da planta industrial da unidade, que reúne 130 cooperados e capacidade de produção de 13 mil litros/dia . O apoio do Rio Rural também permitiu à cooperativa relançar a marca “Garça Brança”, que já foi referência em laticínios na Região.

Já em Valença, na microbacia de Santa Isabel, 53 produtores familiares receberam recursos na ordem de R$ 319 mil, investidos maciçamente na melhoria da produção leiteira associada com ações ambientais como a proteção de nascentes. No município o total investido pelo programa soma R$ 878 mil.