News

Secretário da Casa Civil apresenta esforços do governo para retomada do desenvolvimento

Christino Áureo salientou a importância da homologação do Plano de Recuperação Fiscal para o reequilíbrio financeiro do Rio de Janeiro

O secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo, apresentou, nesta quarta-feira (30/08), no seminário Reage Rio, os esforços que o governo tem feito para recuperar o equilíbrio fiscal do Rio de Janeiro, como o aumento das receitas, diminuição das despesas, além da homologação do Regime de Recuperação Fiscal. O evento, que é realizado pelos jornais O Globo e Extra, tem como objetivo reunir especialistas para debater caminhos que tirem o estado da crise.

O secretário apresentou o que chamou de “pontos de virada ” para a retomada do desenvolvimento econômico do Estado, como, entre outras ações, a realização de novas rodadas de licitações dos campos produtores de petróleo, retomada do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), a expansão do setor automotivo e a maior utilização do Porto do Açu.

– Temos como um ponto de virada importante a própria retomada da capacidade de gestão da política de desenvolvimento econômico do Estado, voltando a conceder incentivos, com transparência e governança, garantindo a instalação, manutenção e expansão de centenas de empreendimentos.

A perspectiva de novos investimento nas áreas produtoras de petróleo já contratadas gira em torno de R$ 170 bilhões e a expectativa é que as novas rodadas de licitações tragam mais R$ 30 bilhões para o estado, resultando num total de 50 mil novos empregos. Somente em 2016 e 2017, segundo dados da secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, a carteira de projetos elaborada pelo estado movimenta recursos da ordem de R$ 19,13 bilhões, com a geração de 19.500 empregos.

A homologação do Plano de Recuperação Fiscal também é essencial para que o Rio de Janeiro consiga superar a crise financeira. Após esse processo, o estado poderá realizar uma operação de crédito de cerca de R$ 3,5 bilhões, que dará normalidade ao fluxo de pagamento dos salários dos servidores.

– Além do empréstimo, teremos a suspensão do pagamento do serviço da dívida com a União, impedindo que novos arrestos aconteçam e nos dando mais previsibilidade na administração da receita – disse o secretário, que salientou ainda que a regularidade do pagamentos dos servidores vai beneficiar toda a economia fluminense.