02ago
Em: 02/08/2019

As melhorias para o transporte ferroviário do país é uma das pautas defendidas pelo deputado Christino Áureo no Congresso Nacional. Segundo o deputado, a implantação da EF-118 Rio/Vitória, é fundamental para a integração logística da região Sudeste.

– A Rio/Vitória tem o potencial de atrair novos polos industriais nos 25 municípios fluminenses e capixabas cortados pelo traçado da ferrovia, além de facilitar o escoamento da produção do Porto do Açu, do Comperj e outros polos do nosso estado. Ela deveria ter sido implantada no governo Temer. Pois os recursos viriam de uma compensação devida pela União quando houve perdas para o estado com as privatizações das ferrovias nos fins dos anos 1990. Agora, estou me reunindo com a bancada do Rio para que, junto com os governadores do Rio, Espírito Santo e Minas, possamos retomar esse projeto. E vamos lutar para que esses recursos sejam aplicados de forma equilibrada entre os estados – afirma o deputado

O deputado afirmou ainda que o Espírito Santo e Minas colocaram o projeto de uma forma que só beneficiaram aqueles estados e na verdade o estado do Rio com o petróleo tanto na Região do Porto do Açu, quanto na Região Leste com o Comperj, criará uma demanda para o uso dos vagões que é muito mais qualificada. Por isso ele vem mobilizando deputados e governadores para que o projeto saia do papel.

Christino Áureo acrescenta que luta por esse investimento desde de 2017. Quando estava à frente da Casa Civil do governo estadual. Na ocasião, os governadores de Minas e Espirito Santo enviaram uma carta ao então presidente Michel Temer. Solicitando que a EF-118 fosse incorporada ao Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do Governo Federal. O projeto da EF-118 tconta com 577,8 km de extensão, sendo 169,2 Km no Espírito Santo e 404,6 Km no Rio de Janeiro. No trecho fluminense. A ferrovia irá passar pelos municípios de São Francisco do Itabapoana, São João da Barra, Campos dos Goytacazes, Quissamã, Carapebus, Macaé, Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Rio Bonito, Tanguá, Guapimirim, Itaboraí, Magé, Nova Iguaçu e Duque de Caxias.