01out
Em: 01/10/2020

Porto do Açu planeja construir fábrica de fertilizantes, cujo insumo é uma de suas matérias-primas

Antes mesmo de ser sancionada, a nova Lei do Gás – aprovada na Câmara dos Deputados no início de setembro e aguardando apreciação do Senado – deverá render os primeiros frutos para o Estado do Rio nos próximos anos. A Porto do Açu Operações, responsável pela gestão do complexo portuário situado em São João da Barra, Norte Fluminense, pretende construir uma fábrica de fertilizantes na região. Como o novo marco regulatório possibilitará a abertura do mercado e a consequente queda nos preços do gás natural, a empresa pretende se beneficiar dos efeitos do avanço do Projeto de Lei, uma vez que o insumo é matéria-prima na produção de fertilizantes.

Presidente da Frente Parlamentar para o Desenvolvimento Sustentável do Petróleo e Energias Renováveis (FREPER) e um dos principais articuladores para que a matéria fosse aprovada na Câmara, o deputado federal Christino Áureo (PP-RJ) comemora a boa notícia.

– São os primeiros passos dados a partir da aprovação da nova Lei do Gás. Sinais muito importantes de como era fundamental que ela fosse aprovada na Câmara dos Deputados. Mas, para que se confirme e, com ela, outros efeitos benéficos, precisa avançar, também, no Senado. Estamos trabalhando para que o texto seja apreciado e chegue à sanção presidencial. Reafirmo que a Nova Lei do Gas será fundamental para a reindustrialização do nosso Estado. Esta disposição da Porto do Açu Operações, que já estreou na importação de adubos, e coloca a possibilidade da construção da uma indústria de fertilizantes no seu plano estratégico, corrobora as nossas expectativas – afirma Christino Áureo.

Baixo custo

Segundo dirigentes da empresa, com a infraestrutura existente em Açu, o gás poderia chegar ao cliente final, no próprio complexo, sem a necessidade de passar por gasodutos, o que baratearia a operação, já que não haveria, por exemplo, gastos com transportes. O objetivo é aportar dinheiro próprio no projeto da fábrica de fertilizantes, em parceria com investidores. O resultado seria geração de novas oportunidades de trabalho e modernização da região. Pilares destacados pelo deputado Christino Áureo como alguns dos benefícios da nova Lei do Gás.

– Como eu costumo dizer, o gás natural pode ser a última grande oportunidade para o desenvolvimento de algumas regiões do nosso Estado. E esse projeto de construção de uma fábrica de fertilizantes em São João da Barra permitirá que a comunidade se beneficie com os investimentos e a industrialização da região – conclui o deputado.