24ago
Em: 24/08/2019

O deputado federal Christino Áureo (PP-RJ) veste a camisa do Banco do Brasil há muito tempo. Iniciou sua carreira aos 14 anos, quando era menor aprendiz, e como funcionário do banco, e representante da bancada do Rio de Janeiro na Câmara, Christino abraçou a campanha “Não mexe no meu BB”, promovida pela ANABB (Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil), em defesa do banco público, fundado há 210 anos.

Ao participar da sessão solene, na Câmara, com cerca de 400 pessoas, entre parlamentares e bancários, Christino afirmou que defender o BB não é fazer defesa corporativa, muito menos disputa política, mas defender os funcionários que representam à nação brasileira, e reconhecer o sacrifício de milhares de famílias que se dedicam ao Banco do Brasil.

– Como funcionários do Banco carregamos um ideal para as comunidades e representamos a nação brasileira. Além dos ativos financeiros do BB mencionados, no plenário da Câmara, o verdadeiro ativo do Banco do Brasil é o funcionário que está aqui, o aposentado, e o que está presente nas agências espalhadas no Brasil e no exterior, fazendo com que a nossa nação seja cada vez mais forte. Quero dizer a vocês que não vai faltar empenho nessa Casa, de todos os deputados que estão juntos nessa causa, e particularmente o meu. Não mexe no meu BB. Vamos em frente – acrescentou o deputado.

Christino informou ainda, que esteve reunido com a diretoria do Banco do Brasil para tratar da Cassi, um assunto que interessa aos funcionários da ativa e aos aposentados do BB, como garantia do direito a nossa saúde e de nossas famílias. Segundo ele, o que está em jogo é a base da segurança dos nossos lares e conta com o apoio da ANABB para essa causa.

Na tribuna, Christino Áureo fez uma saudação especial à representação feminina do Banco do Brasil, que é majoritária; homenageou o presidente da ANABB, Reinaldo Fujimoto, a dirigente da AAFBB, Loreni Senger, o dirigente da COOPERFORTE, Edson Monteiro e saudou de maneira póstuma, seu primeiro gerente do BB, em Macaé, Quintino Diniz Magalhães e o amigo Iney Borges Bastos.

Além de eficiente e lucrativo, o Banco do Brasil tem investido em esporte, cultura, arte e educação, fundamentais para a formação dos valores e da cidadania no País, de acordo com o deputado.